RSS
 

Ansiedade

por: Roberto Lazaro Silveira


Geralmente pessoas ansiosas demais possuem em seu inconsciente grandes acontecimentos que foram parcialmente esquecidos e estes casos podem ser melhorados através do autoconhecimento proporcionda pela psicoterapia.

Observe acima o quadro ansiedade do Edvard Munch que a mãe morreu quando ele tinha 5 anos, a irmã mais velha faleceu aos 15 anos, a irmã mais nova sofria de doença mental e uma outra irmã morreu meses depois de casar; o próprio Edvard estava constantemente doente.

As manifestações físicas incluem inquietação motora, falta de ar, boca seca, sudorese, mal estar abdominal, aperto no coração, tensão muscular, dores, dificuldade para engolir.

A alternância psico-somática, ou seja, um mecanismo que temos para manter a lucidez o qual funciona enviando parte da dor mental para o corpo é notada em casos de ansiedade generalizada ou não. Pessoas ansiosas geralmente possuem alguma doença crônica, engordam – por comer demais e usam drogas – fumam demais, dentre outros mecanismos de fuga.

Possuem dificuldade de largar o vício do cigarro pois é um suporte ás emoções reprimidas, não conseguem seguir um plano saudável de vida embora estejam conscientes que certas ações são prejudiciais ás suas metas.

Se você percebe que algum transtorno como os citados acima te afetam, não os agrave com psicotrópicos para emagrecer ou largar o cigarro, procure pelo autoconhecimento através da psicoterapia.

Ansiedade, ânsia ou nervosismo é uma característica biológica do ser humano, que antecede momentos de perigo real ou imaginário, marcada por sensações corporais desagradáveis, tais como uma sensação de vazio no estômago, coração batendo rápido, medo intenso, aperto no tórax e transpiração dentre outros sintomas particulares para cada indivíduo.

Geralmente a ansiedade surge frente ás adaptações, ou seja, ao mudar de cidade, de emprego… frente ao desconhecido, desafios como vestibular, concursos e entrevistas de empreto. Onde há ameaça ocorre comumento a ansiedade.

Juntamente com a ansiedade o corpo libera neuro-transmissores como a adrenalina que prepara para luta ou fuga.

Vejamos este parágrafo do companheiro Mário Rodrigues Louzã Neto: “Ansiedade é um sentimento humano normal, imprescindível para a vida cotidiana. Até uma certa intensidade ela é útil pois permite que a pessoa possa levar adiante seus projetos e anseios, impulsionando-a para a frente. A asniedade se torna uma doença quando sua intensidade é tal que começa a prejudicar o desempenho da pessoa em suas atividades.” (Neto, Mário R. Louzã, Psiquiatria Básica).

Freud em 1895 escreve sobre a “neurose de ansiedade” identificando duas categorias a saber:

1ª era um sentimento difuso de medo que surgia a partir de um desejo ou pensamento, tratável através da psicoterapia;

2ª um sentimento aterrorizante de pânico, acompanhado de descargas orgânicas e sentimento subjetivo de um terror tão intenso que muitas vezes chegava a sensação de morte. (Freud, S. _-Vol.II – Estudos Sobre a Histeria (1893-1895)). Dentro dos quadros de ansiedade, ele classificou essa última de “Neurose Atual”, que hoje é conhecida como “Síndrome de Pânico”.

Para controlar a ansiedade existem diversas técnicas como praticar exercícios físicos, meditação e psicoterapia. Desta maneira, através dos exercícios físicos estamos drenando o excesso de energia que agrava o quadro ansioso, meditação através da Youga, Tai-Chi dentre outros passamos a relaxar a mente e através da psicotapia garantiremos o autoconhecimento para que a fonte deste mal seja cessada e possamos atingir nossos objetivos de vida!

 

Faça seu comentário