RSS
 

Don Juanismo

por: Roberto Lazaro Silveira

A síndrome de Don Juanismo ou compulsão por sedução é um transtorno caracterizado por necessidade compulsiva por sedução, envolvimento sexual fácil mas fracasso no envolvimento emocional, sendo assim, determinada por relacionamentos íntimos pouco duradouros ou até mesmo inexistentes.

Os indivíduos que têm esta síndrome são excessivamente sedutores e, em geral, têm como alvo pessoas “difíceis” ou “proibidas” de serem alcançadas.

As outras pessoas facilmente se apaixonam por eles, entretanto, o indivíduo com a síndrome logo se apercebe de que o parceiro ou o relacionamento não há mais graça e, por fim, acaba por abandonar a pessoa.

Esses indivíduos não se apegam aos seus parceiros, pois possuem apenas uma atração fugaz em que quando o outro é conquistado, este mesmo vira enjoativo, sem graça e a atração desaparece.

A expressão “don juanismo” aparece por conta do mítico Don Juan, jovem conquistador e sedutor que após conquistar inúmeras mulheres, abandonava-as.

Don Juan é um personagem literário tido como símbolo da libertinagem. O primeiro romance com referência ao personagem foi a obra El Burlador de Sevilla, de 1630, do dramaturgo espanhol Tirso de Molina.

Posteriormente Don Juan aparece em José Zorrilla com a estória de Don Juan Tenorio. A figura de Don Juan foi também cultuada na música, em obras de Strauss e Mozart, este último com a ópera Don Giovanni, composta em 1787.

Mas a figura do eterno sedutor continua atrelada à Don Juan, que aparece ainda na obra de Molière, em Le Festin de Pierre, no poema satírico de Byron chamado simplesmente Don Juan, no drama de Bernard Shaw, chamado Man and Superman.

Segundo Jung, o mito Don Juan apresenta de forma pura o comportamento do ser humano que emite ações reconhecíveis independentemente da época em que se passa, pois, é um veículo para a expressão do inconsciente coletivo.

Trata-se de um padrão (arquétipo) de personalidade caracterizado por uma pessoa narcisista, enamorada , inescrupulosa, amada e odiada e que faz tudo valer para a conquista de uma mulher.

Para o donjuan só interessa o instante do prazer e o triunfo sobre sua conquista, principalmente quando a presa de seu interesse tem uma situação civil proibida (casada, freira, irmã ou filha de amigo, etc).

Normalmente essas pessoas ignoram a decência e a virtude moral mas seu papel social tenta mostrar o contrário; são eminentemente sedutores. Sobre essa característica o escritor Carlos Fuentes, alega ao seu Don Juan a frase: “Porque nenhuma mulher me interessa se não tiver um amante, marido, confessor ou Deus, ao qual pertença …”.

Por outro lado, segundo Kaplan, deve haver significativos sentimentos homossexuais latentes desses indivíduos. Esse autor considera que, levando para a cama a mulher de outro, o donjuan estaria inconscientemente se relacionando com o marido, motivo maior de seu prazer. Tanto que é maior o prazer quanto mais expressivo é o marido ou namorado traído.

Existe também o Don Juanismo feminino. Observe,

João 4:17 ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido;

João 4:18 porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade.

João 4:19 Senhor, disse-lhe a mulher, vejo que tu és profeta.

Jesus Cristo como um grande psicólogo conhecedor dos padrões de comportamentos humanos ou arquétipos, não demorou para diagnosticar tal transtorno quando a mulher disse não ter marido; Jesus respondeu que ela estava certa em dizer a frase e completa que cinco maridos ja tiveste (quer dizer de forma ironica porque nunca teve um marido) e este que agora tens não é teu marido (pois ela era insaciável).

Jesus disse a Samaritana que lhe daria água viva e nunca mais ela teria sede (a saciedade através da relação com Deus). Esta cura ocorre em virtude do fortalecimento do vínculo paterno, pois, Deus nunca erra ou mente nem mesmo desampara seus filhos, não abandona jamais por ser eterno e mesmo depois que morrermos estaremos com ele caso nossa vida aqui na terra seja em obediencia e devoção a Ele através de seu Filho Jesus, observe,

João 4:13 Afirmou-lhe Jesus: Quem beber desta água tornará a ter sede;
João 4:14 aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.

Fontes:
Wikipedia
Bíblia Sagrada
Ballone GJ – Síndrome de Don Juan e “Ficar com”

 

Faça seu comentário