RSS
 

Timidez

por: Roberto Lazaro Silveira

A Timidez pode surgir como um desconforto e a inibição em situações de interação pessoal que interferem na realização dos objetivos pessoais e profissionais de quem a sofre.

Caracteriza-se pela obsessiva preocupação com as atitudes, reações e pensamentos dos outros. A timidez aflora geralmente, mas não exclusivamente, em situações de confronto com a autoridade, interação com algumas pessoas: contato com estranhos e ao falar diante de grupos – e até mesmo em ambiente familiar.

A timidez é um padrão de comportamento em que a pessoa não exprime (ou exprime pouco) seus pensamentos e sentimentos e não interage ativamente. Embora não comprometa de forma significativa a realização pessoal, constitui-se em fator de empobrecimento da qualidade de vida.

Deste ponto de vista, a timidez não pode ser considerada um transtorno mental. Aliás, quando em grau moderado, todos os seres humanos são, em algum momento de suas vidas, afetados pela timidez, que funciona como uma espécie de regulador social, inibidor dos excessos condenados pela sociedade como um todo, ou micro-sociedades.

A timidez funciona ainda como um mecanismo de defesa que permite à pessoa avaliar situações novas através de uma atitude de cautela e buscar a resposta adequada para a situação.

Timidez situacional: a inibição se manifesta em ocasiões específicas, e portanto o prejuízo é localizado. Por exemplo, a pessoa não experimenta dificuldades no amor, mas morre de medo de falar em público. A timidez situacional é a mais fácil de ser vencida, pois neste caso o indivíduo já possui mais habilidades sociais do que o tímido crônico, e grande parte do tratamento consistirá no aprimoramento das habilidades já existentes.

Timidez crônica: a pessoa experimenta dificuldades em praticamente todas as áreas do convívio social. Ela não consegue falar com estranhos, fazer amigos, paquerar, falar em público, enfim, o prejuízo é generalizado. Nesse caso é necessário um desenvolvimento completo dos recursos necessários para a interação com o mundo.

O tratamento para a timidez é a psicoterapia, durante o processo psicoterápico o paciente possivelmente tomará conhecimento das verdadeiras causas da sua timidez, ou seja, situações que foram vivenciadas e esquecidas apenas em parte e agora prejudicam a conquista de novos parceiros, falar em público, negociar de forma positiva e com maiores lucros, tocar um instrumento musical em público e muitas outras questões que exigem autoconfiança e autoestima.

A psicoterapia proporcionará através do autoconhecimento um aumento da autoestima e consequentemente aumentará também a autoconfiança da pessoa para que ela possa em pouco tempo romper esta barreira e facilitar o seu dia-a-dia.

Observe este caso : Ana é uma pessoa tipo capa de revista, linda e atraente por unanimidade, no entanto, ao interessar-se por rapazez Ana não consegue manter um olhar que transmita este interesse e que teria muita chance de sucesso, neste caso, bastaria um olhar. Por outro lado, sem a iniciativa de Ana a maioria dos pretendentes sentem-se acuados e não tem suficiente autoestima para tomar iniciativa além de não encontrar sinais verdes oriundos de Ana que mesmo estando com muita vontade fica inibida.

O que Ana descobriu durante a psicoterapia que mudou sua vida: Ana durante algum tempo de psicoterapia demonstrou ao psicoterapêuta fatos onde seus irmãos sempre diziam que ela era feia. Seu pai era um militar aposentado do tipo linha dura e castrador além de ser dependente de alcool e quando bebia ficava muito machista e repressor. Ana era a filha caçula em meio á 8 irmãos mais velhos sendo 10 anos de diferença para o mais novo dos irmão de Ana. A mãe de Ana era uma mulher muito respeitada na sociedade, uma socialite que frequentava salões de beleza famosos, academias e “vivia arrumada”, parecia competir com a filha.

Em contra partida o psicoterapêuta pode demonstar para Ana ressaltando algumas passagens contadas por ela sobre momentos onde ela teve sua beleza reforçada por várias pessoas de seu convívio. Ana contava ao terapêuta que ela recebia convites para desfilar e fotografar, a maioria dos homens elogiava Ana. E até mesmo ela se achava bonita.

Estes aspéctos mesmo relatados por Ana não tomavam conta de sua consciência em momentos onde ela expressava a timidez, neste caso, a timidez era despertada pelas lembranças dos acontecimentos no lar, e devido á carga afetiva por ser pai e irmãos Ana ficava tímida e reagia de forma hostil ás cantadas, não conseguia aceitar os convites para ser modelo nem mesmo conseguia bons empregos.

Então Ana teve seu momento, o momento de enxergar-se ou de desembaçar o espelho que seus entes queridos faziam questão de embaçar para que a imagem de Ana não fosse revelada á ela, e deste maneira preservariam o machismo hereditário. Hoje ela é casada e possue três filhas, consegue ter um excelênte diálogo com suas filhas e com seu marido. Quanto aos irmãos e pai Ana vive um relacionamento de amizade e respeito, também entendeu na psicoterapia que eles foram moldados por uma época machista em uma sociedade machista da década de 50 e pode perdoar conscientemente.

A beleza é questão de gosto e como todos sabem gosto não se discute, pois, cada um tem o seu. Talvez você ache que não tem beleza alguma, no entando, a pessoa que você acharia linda pode não compartilhar do mesmo gosto que você tem e te achar uma pessoa linda também, pois, a beleza está nos olhos de quem olha e no caso das mulheres as mesmas costumam enxergar pelos ouvidos. Seja gentil e cordial e surpreenda-se.

No caso da mulheres, saibam que alguns cuidados com a aparência são necessários, no entanto, não precisa ter um padrão de beleza exigido pela mídia para ser bela, invista em você mesma, apresente ao mundo boas maneiras e bom humor.

Cuide-se frequentando o salão de beleza pelo menos uma vez por semana, fica atenta ao seu sorriso, ele é um ótimo sinal de simpatia, por isto tenha confiança ao sorrir, se necessário procure um dentista regularmente, faça clareamento que hoje está muito barato, troque as amalgamas por resina. Consulte um dermatologista se não estiver satisfeita com a pele…. Estas últimas recomendações servem para elas e para eles. Cuidar de si causa autoestima que espanta a timidez.

 

Faça seu comentário